O Festival

Faísca Festival de Publicações Experimentais

Projeto aprovado pela Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte (Incentivo Fiscal, edital 2022)

A nova proposta da Faísca coloca em primeiro plano necessidades pulsantes por novas formas de relação com o mundo, assim como reflexões sobre o papel dos seres humanos como uma das espécies de um complexo sistema. A experimentação é tomada, para nomear o evento, não como prática restritiva, mas como meio de sobrevivência. Artistas e público são convidados a vasculhar possibilidades de experimentar a partir de defeitos e gambiarras e sonhos na construção de novos pensamentos, concepções da existência. Se já está tudo fora do lugar, a provocação é: que tal nos arriscarmos e, a partir desse processo, plantar as preciosas sementes que podem surgir daí?

O festival é um encontro de Artes Visuais voltado para publicações como zines e livros de artista, composto por feira gráfica, palestras, rodas de conversa, exibição de vídeos, laboratórios de criação ao vivo, performances, mostras, lançamentos e outras ações. 

Um livro de artista mostra em vez de dizer.
Amir Brito Cadôr em O livro de artista e a enciclopédia visual

(…) quando artistas visuais tentam fazer o próprio livro, você sempre consegue perceber. É um tipo de livro diferente.
Jo Frenken na programação da Faísca em 2020

Não basta que o texto e a imagem sejam do mesmo autor para que seja considerado um livro de artista. É preciso pensar o livro como um todo, de modo que forma e conteúdo sejam indissociáveis. uma das características do livro de artista é a autonomia projetual, quando o autor participa de todos os estágios da obra, desde a escolha de materiais, formato, leiaute, encadernação, impressão, mesmo que não execute pessoalmente as tarefas. o livro é uma obra em si, e não apenas o veículo para a transmissão de um conteúdo verbal. A experiência de manusear esses livros é parecida com a que as crianças vão encontrar mais tarde, diante de uma obra de arte: a capacidade de maravilhamento, de surpresa, de estímulo ao olhar e à inteligência. 
Amir Brito Cadôr em O signo infantil em livros de artista

O fanzine e o livro de artista são obras muito delicadas. O ato da compra de um fanzine é um ato de você trocar uma ideia com o artista, é você tocar, é você sentir o material. É diferente de um livro [tradicional], em que você, mais ou menos, sabe o que vai vir
Beto Galvão na programação da Faísca em 2020

Também tem uma coisa no fanzine que me interessa muito, porque ele consegue ser transversal. As mais variadas pessoas podem acessar o texto de fanzine, se aproximar de uma questão do fanzine, então ele veio como uma alternativa pra mim ao texto acadêmico. Eu queria produzir coisas, mas não dentro da estrutura acadêmica.
Daniela Maura na programação da Faísca em 2020

Com foco nas publicações experimentais, a nova edição da Faísca celebra as possibilidades dos títulos idealizados e, em muitos casos, produzidos, editados ou até impressos pelos próprios artistas. O aspecto Faça-Você-Mesmo e o caráter autoral fazem parte dos pensamentos no desenvolvimento dessas obras, que, normalmente, possuem pequenas tiragens e não são comumente encontradas em grandes livrarias ou em outros lugares tradicionais. Além disso, essas publicações, muitas vezes, são constituídas como peças artísticas, que usam tanto o formato quanto a ideia de replicação, ultrapassando, como forma de expressão, a fronteira do conteúdo. A obra de arte é o próprio livro.

Edição anterior (2020)

Faísca Festival Internacional de Risografia é um evento voltado para as publicações independentes e para a arte impressa, para os processos criativos e de produção, para a conexão entre artistas e público por meio do papel.

O foco são trabalhos como zines, livros de artista e outros tipos de impressos realizados por artistas, publicadores independentes ou microeditoras, envolvidos ativamente em processos que vão desde a ideia, passando pela edição, pela impressão, pelo acabamento até a circulação. São características dessas obras a liberdade criativa e a experimentação.

A edição do evento que começou em 2020 e teve seu encerramento em 2021 foi a estreia da Faísca como festival e a primeira feita como encontro virtual, convidando artistas, designers, impressores e editores de vários países, assim como outros agentes envolvidos na publicação autônoma, aquela que não é pautada por padrões de mercado, pela lógica da larga escala ou pela necessidade de diversos intermediários para sua materialização. 

Knust /Fúria - Prumo
Fúria (Prumo, Knust, Faísca)
Pupi Club
Ricardo Aleixo
a margem ; press
Ediciones el Fuerte
Mesa Mágica
Magical Riso em Português
Motivos para assistir ao Magical Riso
Knust & Prumo
Sérgio Fantini & Ricardo Aleixo
Fabio Zimbres
Jo Frenken, Amir Brito, Ricardo Portilho, Astrid Florentinus
Renan Costa Lima, Risotropical
Magical Octopus

A programação incluiu conversas e entrevistas, debates e palestras, oficinas, ateliês de impressão, experimentações visuais e lançamentos de publicações impressas. O festival começou em setembro de 2020 e inaugurou sua loja online no mesmo ano. A principal plataforma para acessar as atividades do evento é o canal de YouTube da Faísca.

No centro da proposta da 24ª edição estão os processos criativos, considerando-se o registro no papel como parte desses percursos. 

Risotrip Print Shop Co.
Knust
Bruno Rios, erre erre, Matheus Ferreira
Ing Lee
marco sem s
Faísca Lab
Jo Frenken
Zaika dos Santos
Bárbara Macedo
Rodrigo CostaLima, Risotropical.For
Ivana Smudja & Ellen Kocken
Daniela Maura
a margem ; press & Phonte88
Desenho
a margem ; press

A risografia – com suas peculiaridades e possibilidades, a autonomia proporcionada por esse tipo de impressão e a potencialidade de suas limitações – é um disparador de trocas sobre percursos artísticos da ideia à materialização – com a tinta no papel –, de livros de artista, zines e outras produções gráficas.

Experiência Virtual

O festival estrearia em julho de 2020 como encontro presencial de três dias em Belo Horizonte. Com os impactos gerados pela pandemia, a organização se deparou com o desafio de realizar o encontro de maneira segura para participantes, público e equipe, desenvolvendo a edição como uma Experiência Virtual.

Risotrip's lecture
FIF-BH presentation
Sérgio Fantini
Luca Bendandi (Vetro Editions) & John Komurki
Ricardo Portilho, Entrecampo
"Zine life" workshop
"Zine life" workshop
Discussion on Design
Kids workshop by Priscapaes
Estelle Flores, Selva Press
Igor Arume, Risotrip
"Impressions on the city" debate
Taís Koshino, Fuio
"Riso Art in Brazil" Discussion
Beto Galvão

 

⇒ Acesse convidados e programação aqui.